Image Map

Press

642 coisas sobre as quais escrever: 279

`
    Você disse que nós precisávamos de tempo.
    Mentira.
   Olhando você, sentada no banco desconfortável do trem, noto que não precisávamos de tempo. Minutos contados no relógio só aumentariam a raiva, assim como segundos gastos batucando na mesa não mudariam a vontade de nunca mais ter notícias um do outro. Sentamos prestes a fazer uma refeição juntos, mas o desconforto já nos alimentou. Horas não me fariam acreditar que você esquecera das promessas feitas; você as proferiu sabendo das possibilidades. Você prometeu me amar sabendo que aquela era uma aposta da qual não poderia sair vencedora, pois o destino sempre ganha jogos assim. Dias também não seriam longos o suficiente para demonstrar que você era a mesma pessoa por quem me apaixonei. Ou seja, não precisávamos de tempo. O que faltou então?
   Seu marido ajeita seu cabelo e depois continua lendo um livro. Parece uma história de terror. Que ele está lendo, quero dizer; ele parece estar lendo uma história de terror. Mas ver você na sua nova vida é como um festival de horrores também. Sua cabeça repousa no ombro dele e ele sorri quando você suspira profundamente. Vejo seu peito subindo e descendo lentamente, revelando um colar com um pingente peculiar: uma bonequinha. Uma menina. Sua menina. Podia ser nossa, mas é só sua. O que faltou? Não foi tempo. Foi amor? Porque eu dediquei carinho, fiz suas vontades, dei espaço e cuidei de você. Amor era isso ao meu ver: carinho, sacrifício, equilíbrio e cuidado. Amor agora é um sentimento tão abstrato quanto uma pintura: não sei interpretar e tampouco sei se realmente gostaria de saber o significado.
   Quando terminamos, você disse que precisávamos de tempo. Você nunca mais ligou. Faltou bônus no celular para ligar? Faltou tinta na caneta para escrever? Faltou vontade de perguntar se eu estava bem? Faltou tempo ou faltou amor? Não precisávamos de tempo. Precisávamos de verdades. Precisávamos de história.
   Você acorda quando a voz eletrônica anuncia seu destino. Você boceja e seu esposo fecha o livro. E então você olha para frente e me vê. 
   Finalmente não está rolando os olhos, sentada na cadeira de madeira que eu construí porque você pediu. Finalmente não está com os braços cruzados, dizendo que precisamos de um tempo. Finalmente não está na defensiva, dizendo que nunca prometeu nada. Finalmente está me olhando de verdade. E eu sei que você enxerga a dor em mim. Não foi fácil ver você ir embora e se casar meses depois, mas eu segui acreditando. Quebrei a cadeira, mudei de casa e comecei uma coleção de relógios desde que você partiu. Você disse que precisávamos de tempo e eu tratei de conseguir isso de uma maneira simbólica, sempre esperando você.
   Eu consegui tempo. Eu consegui tudo que faltou entre nós. Mas não consegui você de volta.
   Você saiu do trem de mãos dadas com ele e eu notei que fora enganado. 
   Você mentiu.
   Levanto, irritado, sabendo que preciso vender tempo. Realmente não preciso mais dele.
   E aí, antes de sair do vagão, vejo que deixou um relógio para trás.
   Seu relógio.
   Você quer que eu te procure?
   Tic-tac.
   Preciso de tempo.
   Era uma mentira elaborada e complicada ou você se arrependeu de verdade?
10

10 comentários:

  1. Nossa, que texto bem escrito! Adorei. O final ficou bem impactante, vou ficar com ela na cabeça por um tempo...

    um beijo,
    Foca no Glitter

    ResponderExcluir
  2. <3

    http://meniborboleta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. uau vc escreve super bem, adorei o texto

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Sem palavras <3

    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Texto super bem escrito.
    Parece a página final de um livro que eu terminei de ler sabendo o final da história de um casal mas sem saber o meio e o começo, o que me resta é imaginar o que talvez possa te-la feito mentir sobre dar um tempo.haha.
    Enfim, gostei muito.
    Beijo, www.apenasleiteepimenta.com.br

    ResponderExcluir
  6. Quem tem talento pra escrever é outra coisa né! haha Ameeei o post <3
    Beijoos, Ana Carolina.
    www.simplesglamour.com.br
    Instagram e Twitter: @simplesglamourv

    ResponderExcluir
  7. NOSSA! Que texto heim! +_+ Eu senti a dor do personagem. E achei que a menina sobre a qual ele estava sofrendo, foi bem sacana. HAAHAH *AQUELAS QUE SENTE A DOR DOS OUTROS*. Sensacional. Amei o texto. Adorei. ♥

    ResponderExcluir
  8. UAU! Nunca sei o que te dizer quando leio seus textos. Gostei muito desse.
    Lembra do outro, o da noiva? Que eu estava louca de ansiedade por uma continuação? Então, tô assim de novo. Esse casal me conquistou e, não sei, mas fiquei com vontade de saber o que aconteceu com eles. Como eles eram quando estavam juntos e quando foi que se separaram.
    Por favor, considere a possibilidade de contar essa história!
    Amo seus textos, Bi!

    Beijos!
    quaseprimavera.com

    ResponderExcluir
  9. Que lindo isso!
    Adorei o lay e o blog ^^

    ResponderExcluir

Image Map