Image Map

Press

642 coisas sobre as quais escrever: 4

`
   Algumas pessoas odeiam bagunça enquanto outras amam mais a preguiça que as mantêm presas no sofá do que um armário organizado, por exemplo. Eu, porém, tenho um grande amor pelo que é padronizado. Tudo que está em ordem, tudo que está arrumado me fascina. Mais do que fascínio, é algo que ninguém entende. 
   Na mesa da cozinha, minha esposa deixou as chaves do carro. As contas e seu celular estão dispostos sem nenhuma ordem ali e eu ainda estou encarando os objetos. Sei que ela chegou atrasada e, eu não falo, mas em meu olhar ela sabe que desaprovo sua falta de organização. Ela comenta que precisa tomar um banho rápido e sair com uma das suas amigas. Eu queria sair com ela, mas sei que ela odiaria. Eu sou uma vergonha para ela e compreendo. Precisaria conferir três vezes para saber se estou com as chaves, minha carteira e meu celular. Eu não levaria minha agenda, mas só porque ela ficaria brava demais. Teria de fechar a porta e conferir mais três vezes e, até que tudo isso tivesse sido feito e tudo em casa fosse conferido, seria tarde demais para pegar uma sessão no cinema ou comer em algum restaurante legal.
   Ela sabe que não existe uma solução, no entanto isso não muda o fato de ser irritante. Saber da verdade não muda os fatos; não muda que ela se arrependeu de ter casado com alguém "com defeito" e não muda que eu preciso comprar, semanalmente, um novo álcool gel. Não muda nada. E isso me deixa triste porque eu não sei como ou quando começou. Sei que foi antes da psicóloga dizer para minha mãe que eu tinha TOC e ela ter chorado, pelo menos. Mas não lembro o exato dia. Entristece-me porque eu não posso usar todas as coisas que sei sobre limpeza para higienizar meu cérebro e mudar minha doença. 
   O celular dela vibra sobre a madeira. Três vezes, parecendo combinar comigo. Vejo que é uma mensagem e espero ver o nome da tal amiga. Surpreende-me, porém, que seja um nome masculino. Não devo olhar, mas acabo ajeitando meus óculos e procurando por ela ao meu redor. Direita, esquerda, direita, esquerda. Direta e esquerda de novo. Nada. Pego o aparelho e leio o que o tal Eduardo escreveu. Por sua gramática terrível, imagino uma aparência decadente. Sem critérios, sem regras. Ele disse que esperava por ela. Lá na frente da nossa casa. "Estou pronto para te deixar desestruturada, ao contrário daquele chato". O chuveiro é desligado e isso me lembra que preciso largar o aparelho e me recompor. Engulo minha própria saliva e respiro fundo. Não só três vezes, mas cinco. Preciso de coragem.
   No caminho para o quarto, sei que a vida que conheço acaba ali. Abro a porta e a vejo enrolada na toalha. Ela me olha e sorri fraco. Parece que o amor acabou e que eu só percebo agora, acima da poeira, dos germes e das sequências sem fim, no olhar dela.
   - Sei que vai dizer que estou atrasada... - Não a deixo acabar. Coloco o dedo em seus lábios e ela arregala seus olhos. Dedos, bactérias, boca. Eu sempre falava sobre aquilo. 
   - Fique comigo hoje. Por favor. Farei o que você desejar.
   Eu sempre fazia as coisas mais de uma vez porque precisava de segurança, mas ao ler a mensagem daquele homem, notei que todos nós temos a capacidade de tomar decisões. A dificuldade é viver com as consequências e eu queria começar a viver com as minhas sem as limpar. Muitos achariam que eu deveria jogar nossa relação fora, pois já estava quebrada. A verdade era que eu sabia disso, mas pretendia limpa-la e cultiva-la melhor. Eu podia jogar fora então meus hábitos. Eles não estavam mantendo meu corpo menos sujo, menos doente. Eu me sentia no lixo de qualquer forma. 
   Minha esposa me olhou e tocou meu rosto. Fecho os olhos e suspiro. A vida que eu conhecia acabou ali mesmo. 
   Um. Dois. Três segundos.
   - Não! - Exclamo, tirando sua mão do meu rosto. Lixo, lixo, lixo.
   Minha esposa me olhou e saiu dali. Colocou uma roupa e saiu para ver seu amante.
   E eu fiquei, esperando por ela voltar imunda, com o cheiro de outro. Fiquei, chorando porque não consegui jogar fora meu real problema: limpezas que me deixavam confuso e sujeiras que me traziam felicidade.
25

25 comentários:

  1. Nossa, eu fui lendo e meu Deus como você escreve bem! E a história é surpreendente, eu nunca imaginava esse final.

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal que você gostou! Obrigada, da verdade.

      Excluir
  2. Uau que texto hein *-*
    Muito realista e um tanto triste :x

    www.chaeamor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, é bem realista. Mas achei que seria uma boa oportunidade de falar sobre o assunto.

      Excluir
  3. Olá! Essas 642 coisas é um projeto? Adorei! O texto também está muito bom, você que escreveu? Parabéns!! Bjs

    http://www.mayaravieira.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, é um projeto sim, Mayara.
      Eu que escrevi e fico feliz que tenha gostado.

      Excluir
  4. Primeira vez que entro em seu blog e de cara já estou apaixonada,sério é lindo demais! Beijão! www.escritadeinverno.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não sabe como é legal ler isso, Lari.
      Muito obrigada!

      Excluir
  5. Oi, Bianca! Tudo bem? Nossa, adorei o texto! Você escreve muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito bem! Sério, muito bem mesmo! Adorei a tua escrita! <3 E quanto ao texto, achei ele bem triste. Fiquei triste pelo protagonista, e o ruim é saber que existem na vida real várias pessoas com o problema dele... :/

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que legal que gostou, Tony.
      Eu também fiquei meio triste escrevendo, mas achei que seria legal mostrar que nem tudo tem um final feliz.

      Excluir
  6. Gostei bastante, você escreve muito bem mesmo, amei!
    Beijos
    http://onlypoison1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nossa... penso quantas pessoas estão por ai passando pela mesma situação. Coitado...
    Passa lá no blog também.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Queria pensar que não são muitas, mas é uma coisa bem comum até.

      Excluir
  8. Nossa que texto ótimo. Meus parabéns! Estava esperando outro final, mas gostei desse hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não teve final feliz... foi mal.
      Mas fico feliz que tenha gostado.

      Excluir
  9. Gostei da forma de como você tratou um assunto tão sério com uma escrita bem prudente. A realidade para as pessoas com TOC deve ser até um pouco pior do que essa, então é triste ficar pensando e pensando nisso. Obviamente, o cara do texto não merecia a esposa que tinha, e por causa dela se culpou por algo que ninguém deveria ser culpado. Beijos, Light As The Breeze

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era exatamente isso que queria passar com o texto e você entendeu: ele se culpava mesmo sem dever, mesmo sem ser sua culpa. Pessoas vulneráveis assim têm essa tendência e queria mostrar essa parte também.

      Excluir
  10. Amei esse texto, estava certa que ele ia no quarto terminar com a mulher, aí fiquei certa de que eles iriam se acertar e que ele conseguiria vencer o TOC e então esse final. Que reviravolta, não faz isso comigo SHAUHASAH Adorei sua escrita, descreveu muito bem alguém que passa por essas situações,
    Peço desculpas pelo meu sumiço dos blogs, tive alguns problemas mas já estou de volta :3 Tem resenha de "Como Eu Era Antes de Você" lá no Sétima se quiser conferir,
    Beijoos,
    Sétima Onda Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz de poder fazer você se envolver assim na história, Mandy.

      Excluir
  11. Olá lindona! Como você está? Vim visitar o seu cantinho e gostei muito da sua dedicação. Sucesso sempre! Vim convidá-la também para o sorteio de 2 Anos do blog Doce encontro. Vem participar? Ficarei muito feliz! Miiil beijos! ♥

    http://www.doceencontro.com/2015/06/sorteio-especial-de-2-anos.html

    ResponderExcluir
  12. MEU DEUS, BI! COMO VOCÊ ESCREVE BEM! Fiquei perplexa aqui e completamente presa, do começo ao fim do texto! Sério, parabéns, que demais!!!! Quero mais textos <3

    Um Beijo, Na!

    www.hamburguesinha.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não sabe o quanto seu comentário significou pra mim, moça. Eu admiro muito você então ler isso é muito MAS MUITO legal mesmo!

      Excluir

Image Map