Image Map

Press

18 coisas para o meu apartamento: #16

`
   Como o título da tag diz, eu tenho um apartamento e apartamento, para mim, é sinônimo de pouco espaço. Eu acredito que meu apartamento tenha oitenta metros quadrados (ou menos) e a cozinha é a parte que eu mais me importo, porque é uma das primeiras coisas que as pessoas enxergam ao entrar pela porta. Então, perdoe a repetitividade, mas o número dezesseis também é sobre cozinha.

   Número 16: Cozinhas coloridas

Multicore
   Nesses dois exemplos, uma cartela de cores é seguida, mas é, definitivamente, mais de uma cor. Na primeira foto, eu amei como o balcão foi feito de tons diferentes de azul e a parede (roxa!) possui um quadro que permite anotações. Os armários aéreos, em tons de verde, combinam com as cadeiras. Já na segunda foto, o ar mais retrô é liderado pelas cadeiras, objetos vermelhos e pelos banquinhos azuis combinando com as portas/gavetas azuis. Ah, e a parede (provavelmente papel de parede) de tijolos ajudou muito no ambiente.
   Não há muito o que falar sobre essa cozinha além de que muitas cores foram usadas. De uma forma ou outra, eu achei que o efeito final foi maravilhoso, inclusive essa coluna rosa com pratos enfeitados. Aliás, aquela geladeira amarela ali no fundo é linda demais, né?

Azul
   Azul é a minha cor favorita e o que eu amei sobre a foto superior é que a cozinha azul/branca foi "interrompida" pela parede amarela da sala. O tom de azul também foi crucial para que pudesse combinar com o amarelo. Sobre a imagem inferior, com a parede de azulejos, eu adorei como a cortina azul e os objetos na prateleira superior adicionaram vida ao coloridos das peças na parede.

Verde
   Verde não é a minha cor favorita, mas eu tenho que admitir que gostei muito na cozinha. Todo mundo fala muito de cozinhas vermelhas e amarelas (e por isso que eu não quis incluir essas na minha lista aqui) e o verde nunca é incluido, porém fiquei bem satisfeita com os exemplos que encontrei. Seja como quadro de anotações ou como balcão/armários, o verde trouxe vida para a cozinha branca. 

"Pontos de cor"
   Laranja e verde? Para ser honesta, achei uma escolha arriscada. No entanto, gostei do resultado e achei que as plantas no topo dos armários aéreos fizeram a diferença. A mesa de madeira contribuiu para manter o ar de "descontraído" da cozinha. Azul e azulejos coloridos? Sim. Achei que o armário azul e os azulejos deixaram a cozinha mais viva e, para quem tem uma cozinha como cartão de visita, a combinação perfeita estava bem ali. Sem exageros, o ambiente não ficou poluído por conta dos balcões brancos, assim como as outras paredes claras.

E aí, o que acharam?
32

Filmes? Filmes. Com Porpcorn time

`
   Não sei muito bem o que aconteceu, mas muita gente sabe da existência do Netflix e paga sim o preço por mês. Até onde eu sabia, os sites piratas bombavam, mas parece que está na moda ser "correto". De qualquer forma, através de um amigo conheci uma versão melhorada do Netflix e adivinha? É de graça.
    Popcorn Time (clique aqui para entrar no site), aplicativo disponível para Apple, Android e Windows, é muito completo. Os filmes que estrearam nesse ano já estão disponíveis lá, como Cinderela, Cinquenta Tons de Cinza, Kingsman e muitos outros. Até mesmo filmes que ainda não apareceram nos cinemas brasileiros já estão lá e, confie em mim, o aplicativo é sim legal. 
    Dividido em dezoito gêneros, os filmes são para todo mundo. Existem filmes lá que eu lembro de, anos atrás, ter tido vontade de ver mas ter esquecido. Tenho amado a sessão de romance por isso, porém todas são completas demais mesmo! 
   O mais legal é que a parte com os seriados também é incrível. Os episódios são atualizados conforme exibidos lá nos Estados Unidos, fora as séries que já acabaram mas você nunca se cansa de ver. Fica muito mais fácil de fazer aquela maratona.
    Não sei o exato número de seriados disponíveis, mas com certeza é mais que cem. 
   Aí com certeza vão pensar "ah, mas deve ser tudo em inglês". E a resposta, meu caro amigo iludido, é que há mais de dez idiomas disponíveis para você escolher como legenda. E não só em alguns filmes e poucas séries; em todos! Outra parte bem legal é que eles disponibilizam o trailer do filme que você vai ver, além da sinopse. Isso eu acho que facilita bastante.
  O tempo necessário para download vai variar conforme sua própria internet, claro. No meu, pelo menos, não demora mais de dois minutos.
   Tudo que tenho para dizer é que Popcorn Time é sinônimo de praticidade, realmente.


 Você já conhecia o aplicativo? Gostou da dica? Conta aí.
33

642 coisas sobre as quais escrever: 4

`
   Algumas pessoas odeiam bagunça enquanto outras amam mais a preguiça que as mantêm presas no sofá do que um armário organizado, por exemplo. Eu, porém, tenho um grande amor pelo que é padronizado. Tudo que está em ordem, tudo que está arrumado me fascina. Mais do que fascínio, é algo que ninguém entende. 
   Na mesa da cozinha, minha esposa deixou as chaves do carro. As contas e seu celular estão dispostos sem nenhuma ordem ali e eu ainda estou encarando os objetos. Sei que ela chegou atrasada e, eu não falo, mas em meu olhar ela sabe que desaprovo sua falta de organização. Ela comenta que precisa tomar um banho rápido e sair com uma das suas amigas. Eu queria sair com ela, mas sei que ela odiaria. Eu sou uma vergonha para ela e compreendo. Precisaria conferir três vezes para saber se estou com as chaves, minha carteira e meu celular. Eu não levaria minha agenda, mas só porque ela ficaria brava demais. Teria de fechar a porta e conferir mais três vezes e, até que tudo isso tivesse sido feito e tudo em casa fosse conferido, seria tarde demais para pegar uma sessão no cinema ou comer em algum restaurante legal.
   Ela sabe que não existe uma solução, no entanto isso não muda o fato de ser irritante. Saber da verdade não muda os fatos; não muda que ela se arrependeu de ter casado com alguém "com defeito" e não muda que eu preciso comprar, semanalmente, um novo álcool gel. Não muda nada. E isso me deixa triste porque eu não sei como ou quando começou. Sei que foi antes da psicóloga dizer para minha mãe que eu tinha TOC e ela ter chorado, pelo menos. Mas não lembro o exato dia. Entristece-me porque eu não posso usar todas as coisas que sei sobre limpeza para higienizar meu cérebro e mudar minha doença. 
   O celular dela vibra sobre a madeira. Três vezes, parecendo combinar comigo. Vejo que é uma mensagem e espero ver o nome da tal amiga. Surpreende-me, porém, que seja um nome masculino. Não devo olhar, mas acabo ajeitando meus óculos e procurando por ela ao meu redor. Direita, esquerda, direita, esquerda. Direta e esquerda de novo. Nada. Pego o aparelho e leio o que o tal Eduardo escreveu. Por sua gramática terrível, imagino uma aparência decadente. Sem critérios, sem regras. Ele disse que esperava por ela. Lá na frente da nossa casa. "Estou pronto para te deixar desestruturada, ao contrário daquele chato". O chuveiro é desligado e isso me lembra que preciso largar o aparelho e me recompor. Engulo minha própria saliva e respiro fundo. Não só três vezes, mas cinco. Preciso de coragem.
   No caminho para o quarto, sei que a vida que conheço acaba ali. Abro a porta e a vejo enrolada na toalha. Ela me olha e sorri fraco. Parece que o amor acabou e que eu só percebo agora, acima da poeira, dos germes e das sequências sem fim, no olhar dela.
   - Sei que vai dizer que estou atrasada... - Não a deixo acabar. Coloco o dedo em seus lábios e ela arregala seus olhos. Dedos, bactérias, boca. Eu sempre falava sobre aquilo. 
   - Fique comigo hoje. Por favor. Farei o que você desejar.
   Eu sempre fazia as coisas mais de uma vez porque precisava de segurança, mas ao ler a mensagem daquele homem, notei que todos nós temos a capacidade de tomar decisões. A dificuldade é viver com as consequências e eu queria começar a viver com as minhas sem as limpar. Muitos achariam que eu deveria jogar nossa relação fora, pois já estava quebrada. A verdade era que eu sabia disso, mas pretendia limpa-la e cultiva-la melhor. Eu podia jogar fora então meus hábitos. Eles não estavam mantendo meu corpo menos sujo, menos doente. Eu me sentia no lixo de qualquer forma. 
   Minha esposa me olhou e tocou meu rosto. Fecho os olhos e suspiro. A vida que eu conhecia acabou ali mesmo. 
   Um. Dois. Três segundos.
   - Não! - Exclamo, tirando sua mão do meu rosto. Lixo, lixo, lixo.
   Minha esposa me olhou e saiu dali. Colocou uma roupa e saiu para ver seu amante.
   E eu fiquei, esperando por ela voltar imunda, com o cheiro de outro. Fiquei, chorando porque não consegui jogar fora meu real problema: limpezas que me deixavam confuso e sujeiras que me traziam felicidade.
25

Não vou abaixar o som, mãe: Stereo Kicks

`
   Para quem já leu os posts do intercâmbio (e se não leu, vai ler. Os posts estão aqui) sabe que eu e a Susi falávamos bastante de música. E foi em um dia qualquer comentando sobre bandas legais que acabamos encontrando Stereo Kicks. Eu sei que o pessoal do Brasil que acompanhava o The X Factor já deve saber dessa boyband, mas, para os meros mortais que,como eu e ela não sabiam da existência do Stereo Kicks, boa sorte em não se apaixonar.


"Será que o amor curará esta dor? Talvez as cicatrizes, mas não um coração partido pois um coração em pedaços não é o mesmo. Eu te disse, você tem a habilidade de salvar."
- Love Me So


   Assim como a One Direction, cada um dos oito integrantes fez a audição separadamente. Os jurados os juntaram e foi aí que eles começaram a arrasar corações. Claro que foi meio estranho no começo ver tantos meninos bonitos e talentosos em um mesmo grupo e Louis, o responsável por eles, muitas vezes quis tirar alguém da banda. No entanto, todos eles continuam juntos, mesmo não ganhando o programa.

"Tentei meu melhor para entender o que faz um homem. É o caminho onde ele começa ou o que ele está parado agora?"
- Love Me So

   A banda começou com o nome New Boy Band, mas eu fico muito feliz que eles tenham pensado em algo mais criativo. Aliás, seus nomes são James Graham, Reece Bibby, Tom Mann (mais velho e meu favorito), Barclay Beales, Chris Leonard (único irlandês. Niall Horan?), Casey Johnson, Jake Sims e Charlie Jones (mais novo, que inclusive lançou uma música solo da qual não gostei muito). Até agora, esses bonitinhos só estão com um single disponível, mas acredito que em breve pelo menos um EP sairá. 



E aí, bons mesmo ou são só uma versão britânica do EXO?
33

18 caras

`
   Uns meses atrás comecei tags envolvendo o número dezoito por motivos de minha maioridade ser alcançada em março. Hoje, então, vou falar de dezoito caras que, combinados, seriam O homem para mim. E, só para deixar claro, estou apavorada: semana passada foi a primeira vez que a minha dinda veio "me perguntar dos namoradinhos". Que os jogos comecem, não é? 

Alan Powell e Cameron Mitchell
Alan (do grupo Anthem Lights) é o tipo de cara que eu consigo me imaginar junta pelo resto da vida por um simples motivo: Deus. No topo da minha lista está um cara cristão porque religião é algo muito importante para mim e Alan, mesmo estando num ramo "evolucionista" e tão ateu, mostra sua fé através de sua música e até dos posts bonitinhos do instagram. Já Cameron, além de ser muito estiloso, escreve músicas ótimas. Ele participou do The Glee Project e, mesmo não tendo ganho nem tendo um contrato, continua postando sua música no Youtube, o que indica persistência. Eu gostava muito da atitude positiva dele no programa também.

 Adam Levine e Maxon Schreave
Sim, Adam Levine é o cara sexy cheio das tatuagens legais e tudo mais, mas o meu motivo por o querer é outro: equilíbrio. O Adam sempre me pareceu um cara de bem com a vida, que não se estressa por pouca coisa e eu, como uma maníaca por organização, quero alguém que me dê equilíbrio e um homem como ele saberia como me "acalmar". O Maxon (do livro A Seleção), por outro lado, só me daria dor de cabeça. Eu o escolhi, na verdade, pelo valor que ele dá as suas relações. Seu primeiro beijo foi com América, por exemplo, e isso é algo que eu acho muito legal; um cara que saiba esperar por algo que tenha um significado maior.

Ed Sheeran e Derek Morgan
Todo mundo ama Ed Sheeran e as gurias vão dizer que querem se casar com ele por conta das coisas que ele escreve e, bem, eu até concordaria se não me incomodasse tanto que todas suas músicas falem sobre beber até não aguentar mais. O motivo dele estar aqui é uma música chamada Wake Me Up. O cara presta atenção nos detalhes e faz tudo para a moça saber que ele gosta dela, sabe? Se esse é o Ed de verdade, é esse que eu quero. O Derek, de Criminal Minds, já é aquele cara que ia dar proteção. Não só pelos músculos enormes mas pelo jeito como resolve os problemas. O jeito que ele trata a Garcia no show também é digno de suspiros.

Tom Fletcher e Dougie Poynter
Dando vida as fanfics, Tom Fletcher e Dougie Poynter (McFLY!) estão aqui. O Tom é um exemplo de marido e não sei nem por onde começar. Talvez tenha sido o vídeo de casamentoou o da gravidez, não sei exatamente, mas ele me conquista não só como cantor/compositor, mas como cavalheiro também. Achei legal ele ter tatuado a inicial da esposa no dedo da aliança, uma vez que ele tinha que tirar o anel para poder tocar. O Dougie está nessa lista pelo simples fato dele ser o Dougie. Ele é maluco e, para quem não sabe, ele enfrentou problemas e acabou indo parar na reabilitação por um tempo. Mesmo sendo julgado por todos, ele admitiu seu erro, mudou e eu acho isso muito importante no caráter de um homem: saber os limites e quando pedir ajuda.

Toni Mahfud e Tom Harlock
Mesmo não sabendo, você deve ter visto um dos desenhos do Toni por aí; ele é muito talentoso. Eu acho muito bonito um cara que se dedique ao que goste, seja um instrumento, a escrita, desenho, algo criativo assim. Já o Tom não tem medo de assumir outra coisa: seu gosto por One Direction. Pode parecer tosco, mas acho legal o cara não ter vergonha do gosto musical mesmo que seja considerado ridículo. Isso serve para qualquer assunto na verdade, não só música.

Sam Claflin e Justin Baldoni
Eu poderia dizer que o Sam só está aqui por ser lindo, britânico e ter covinhas, mas a verdade é que ele está nessa lista porque é especial. Vendo ele atuar, as entrevistas, o modo como as pessoas falam dele, tudo mostra que ele é realmente uma pessoa educada, gentil e honesta. O que mais que eu poderia querer? Isso, eu poderia querer mais romance, mas daí é por conta do Justin. O pedido de casamento dele foi perfeito! Além de ser lindo e eu amar seu papel como Rafael em Jane The Virgin, o cara trabalha em uma empresa de comunicação, fazendo documentário sobre pessoas "normais". Ele é apaixonado pela vida e isso me deixa nada menos que como aquele emoji com olhinhos de coração.

Gabriel Gontijo e Matheus Vecchio
Não parece ser legal admitir, mas estilo conta muito para mim. E estilo, atrevimento para se arriscar e carisma é algo que não falta para o Gabi. O Matheus, por outro lado, é meu crush secreto-não-tão-secreto. Ele tem um blog muito legal (clique aqui para ver o site dele) que eu conheci quando ainda estava lá nos Estados Unidos. Um dia, ele me seguiu no instagram e eu surtei ao saber que ele também era de Porto Alegre. Semana passada, passeando por aqui, o encontrei. E me escondi, claro. Que vergonha. Mas aí acabei vendo pessoalmente que ele é um amor, além de ser mega estiloso. Vocês tinham que ter visto ele elogiando uma senhora aleatória na rua sem pedir nada em troca. Muito fofo!

Danny O'Donoghue e John O'Callaghan
Não podia faltar os vocalistas das minhas bandas favoritas aqui: Danny, do The Script e John, do The Maine. O Danny é um querido que já passou por uns bons bocados, mas continua escrevendo músicas positivas como Hall Of Fame. Acho que adoro ele principalmente por uma música chamada If You Could See Me Now, escrita em homenagem a seu pai, que faleceu poucos anos atrás. John já é mais inconsequente. Tatuagens, palavrões, turnês, esse tipo de coisa. Gosto dos tweets dele (tipo Fuck your computer, kill the internet, marry a book.) e, de mesmo que tenha vinte e seis anos, continue olhando Scooby Doo. Ele é uma criança grande e, em muitos momentos, você só precisa de alguém livre assim.

John Green e Zayn Malik
É o John Green que está aqui, mas podia ser o David Levithan, por exemplo. O que quero dizer é que desejo um cara que saiba como expressar o que sente, não necessariamente com palavras, mas que saiba se comunicar. Comunicação é muito importante numa relação. Já o Malik não está aqui por ser lindo, por ter uma voz maravilhosa, nem por aquele pontinho fora da íris no seu olho esquerdo que me deixa louca, mas sim por ele ter desistindo de uma banda que havia conquistado o mundo inteiro por querer felicidade. Zayn abriu mão de muito dinheiro porque acreditava que aquilo não era mais para ele e eu acho que isso fala muito sobre a personalidade dele, sobre suas prioridades.

Bom, essa é a minha lista. Qual é a sua? Achou que eu sou louca ou se identificou? Diz aí.
19

Telenovela ou seriado?

`
   Pela quantidade da adaptações (seja de filmes, livros ou seriados), creio que o estoque de criatividade está acabando. Ou é só uma forma de "atualizar" histórias. Seja como for, nesse meu intercâmbio para os Estados Unidos acabei descobrindo o quão forte é a ligação dos americanos com os mexicanos, por exemplo. A cultura latina está tão presente na vida deles que não me surpreendeu nada em ver tantas adaptações de telenovelas para a televisão americana. E é disso que vou falar hoje.

Ellas Son... La Alegría Del Hogar x Devious Maids
A história, que é uma mistura de comédia e mistério, apresenta a vida de cinco domésticas que trabalham em um condomínio de luxo. Naquela vida boa, cheia de fofocas e julgamentos, elas perdem a tranquilidade ao encontrarem um corpo e uma maleta cheia de dinheiro. Elas resolvem então se juntar e resolver a morte do desconhecido. Ellas Son... La Alegría Del Hogar foi passado na televisão mexicana em 2009, pelo canal One e contou com somente treze episódios de uma só temporada. Já em Devious Maids, a diferença é que quem morreu foi Flora, uma faxineira como elas que escondia um grande segredo. O seriado americano está na terceira temporada e é exibido pelo canal Lifetime. Aqui, a estréia ocorreu faz pouco tempo e você pode assistir no Lifetime também.

Juana La Virgen x Jane The Virgin
Quem me acompanha no twitter, sabe sobre o meu amor por Jane The Virgin. Eu gosto deles mostrarem o lado da cultura tradicional latina onde a moça devia esperar até o casamento para perder a virgindade. Jane é uma jovem que está esperando, mesmo que já tenha seu amor e pretenda casar-se com ele. Até que, em uma consulta ao ginecologista, ela é inseminada artificialmente e fica grávida. Virgem. Com Juana, não há um amor lá para ela, mas Mauricio, o doador do esperma, começa a procurar por ela e é assim que o romance acontece. Com Jane, Rafael, o doador do esperma, quer que ela tenha o filho. E, mais para a frente do seriado, um romance com ele também. Mas aí é informação demais, não é? Juana La Virgin é uma telenovela venezuelana que foi ao ar em 2002, enquanto Jane The Virgin estreiou ano passado lá no CW e não tem data de estréia aqui ainda.

La Fea Más Bela x Ugly Betty
Dessa lista, La Fea Más Bella foi a única telenovela que eu assisti. Eu lembro, em 2006, estar na frente da televisão, rindo com as idiotices da Lety e com os atos engraçados do Fernando. Era exibida no SBT, se não me engano. Lety era a secretária feia e Fernando era o empresário bem sucedido que se envolvera em problemas. Ela sabia sobre as farsas dele e por isso seus amigos o fizeram seduzi-la para que não contasse nada. Só que ele se apaixona e aí tudo muda. Já com Ugly Betty, o assunto era outro: moda. A estranha mexicana que conseguiu um cargo numa revista de moda e que ninguém sabe o motivo dela estar lá ainda. Tem romance, comédia e muita moda. Ugly Betty teve três temporadas e La Fea Más Bella contou com quase trezentos episódios, aliás, mas nenhuma continua na televisão. No Netflix quem sabe. 

E aí, você viu alguma dessas telenovelas? E seriados?
30

642 coisas sobre as quais escrever

`


  Se existe uma coisa que eu aprendi nesses quase três anos de blog é que posts de crônicas, textos e poemas não são bem-vindos. Hoje a sociedade é visual e rápida então não tem tempo de parar para ler postagens longas. Mas eu amo escrever e mesmo que não gostem disso, acho que está na hora de eu parar de tentar ser uma blogueira como todas as outras e apresentar mais minha identidade. 
   Pensando nisso e encontrando um projeto muito legal chamado "642 coisas sobre as quais escrever" (veja a lista aqui), resolvi começar essa lista. O projeto consiste em coisas que você vai escrever sobre e, mesmo que a lista não esteja completa, uma vez que só tem até o número trezentos, eu já listei as coisas das quais vou escrever. Claro, quando a lista estiver completa, eu procurarei encontrar os números dos quais vou querer escrever, mas até lá já tenho um bocado de inspiração.

214. O que pode acontecer em 1 segundo? e tem essa versão aqui também.

   O legal é que criaram um Tumblr e um grupo no Facebook também, onde as pessoas podem compartilhar os desafios que fizeram. Não hesite de partipar do projeto e divulgar, claro. Ah, e desculpe-me se esse não for o tipo de post que você quer, o tipo que estava procurando; é só que esse é o tipo de post que eu quero fazer.
34

Dia dos Namorados (fictícios)

`
    Para aqueles que comemoram o doze de junho, parabéns. Espero que seu namoro dure bastante e que os momentos bons sejam em maior quantidade do que os ruins. Para os que, como eu, não farão algo especial hoje, eu indico um livro. E foi pensando nisso que eu resolvi fazer um post diferente do que tenho visto em TODOS os outros blogs; estou aqui para dizer para você comemorar o Dia Dos Namorados com os seus namorados fictícios


A Melhor Coisa Que Nunca Aconteceu Na Minha Vida - Laura Tait e Jimmy Rice:
Com essa capa mega fofa, A Melhor Coisa Que Nunca Aconteceu Na Minha Vida é um romance sobre os amigos que não se encontram há onze anos, Holly e Alex. Ao ter uma segunda chance na amizade, um amor que na adolescência não fora revelado, agora parece muito presente na vida deles e precisa ser expressado. Mas a vida continua, não é? Acredito que seja parecido com Um Dia, do David Nichols.

Eu Estive Aqui - Gayle Forman: 
Sendo um pouco mais mistério que romance, Eu Estive Aqui é sobre Cody e Meg, duas amigas que eram inseparáveis. Até que Meg se suicida em um quarto de motel e deixa uma carta para Cody. Arrasada, ela vai até a faculdade da falecida amiga para pegar seus pertences e lá o mistério se desenrola, uma vez que Cody não está convencida de que a amiga realmente se matou. 

A Playlist De Hayden - Michelle Falkoff:
Assim como o livro citado acima, A Playlist De Hayden também é sobre uma amizade interrompida por um suicídio. Nesse caso, Hayden deixou uma playlist para Sam e as músicas o ajudam a pensar no passado e compreender o que de fato ocorreu na vida de Hayden para que ele se matasse. O livro parece ser sobre vários assuntos, mas principalmente sobre os valores de uma amizade verdadeira.

Uma Curva No Tempo - Dani Atkins:
Com uma pegada um pouco mais mágica, Uma Curva No Tempo conta a história de Rachel, uma moça marcada pelo acidente do melhor amigo, Jimmy. Sua vida vai de mal à pior, até que ela vai parar no hospital e quando acorda, tudo está diferente. E Jimmy ainda está vivo. Os últimos cinco anos da vida dela foram alterados completamente e ela parece ser a única a ver isso. Como fazer para que todos acreditem que aquela vida é só um sonho?

Nós - David Nicholls:
Em Nós, Douglas não sabe o que fazer da vida quando, aos cinquenta e quatro anos, seu filho único vai para a faculdade e sua esposa pede o divórcio. Ele decide então fazer uma viagem com os dois para que consiga conquistar Connie de volta e para mostrar ao filho que realmente o ama. Será que vai dar certo?

Ligações - Rainbow Rowell:
Georgie sabe que seu casamento não vai bem, mas quando ela diz que não pode viajar com sua família e Neal vai para o aeroporto com as filhas sem ela, Georgie se pergunta se aquele é o fim. De uma maneira mágica, ela recebe ligações onde quem está falando é o Neal do passado. Isso vai mudar seu presente e futuro, com certeza. Eu já havia comentado que Fangirl não era exatamente o que eu esperava da Rainbow, mas Ligações parece ser mais interessante.

Invisível - David Levithan e Andrea Cremer: 
Muito parecido com o filme E Se Fosse Verdade, o livro é sobre Stephen, que nasceu invisível. Ninguém nunca o viu. Mas quando sua vizinha consegue vê-lo, eles começam uma amizade perigosa e que logo se torna algo mais. Elizabeth e Stephen agora estão em busca de uma cura, só que o que eles não sabem é que as consequências podem ser grandes demais.

Amy & Matthew - Cammie McGovern:
Amy & Matthew é  um livro sobre uma amizade esquisita. Uma menina deficiente e um menino negativo. Eles acabam se conhecendo melhor e vendo que as aparências realmente enganam, mas o que fazer quando as coisas saem do controle e se transformam em mais que amizade?

Anexos - Rainbow Rowell:
Imagine que divertido seria se alguém ficasse lendo seus e-mails do trabalho? Muitas empresas fazem isso, na verdade, e, em Anexos, esse é o trabalho do Lincoln. Nesse serviço então ele se depara com Beth e Jennifer, amigas malucas e engraçadas que trocam e-mails que deveriam ser denunciados. Agora imagine que seria ainda mais divertido se ele acabasse se apaixonando por Beth e não pudesse falar nada; qual seria sua aproximação? "Li seus e-mails e gostei de você. Quer sair para tomar um café?" Pois é assim a história de Anexos. Ah, e pelo que vi, se passa em 1999.

Garota Online - Zoe Sugg:
Ter um blog e escrever sobre sua vida particular é como ter alguém lendo seu diário, não é? Penny faz  exatamente isso, mas com o nickname de Garota Online. Quando ela vai para Nova Iorque com seus pais e conhece Noah, sua primeira reação é escrever sobre ele no tal blog. O problema é que Noah guarda segredos e o seu próprio mundinho pode estar ameaçado por conta disso.

Perdão, Leonard Peacock - Matthew Quick:
No dia de seu aniversário, Leonard sai de casa com uma arma e sabe o que tem de fazer: matar seu ex-melhor amigo e depois cometer suicídio. No entanto, no decorrer das páginas, ele vai ter que se despedir de quatro pessoas e ir revelando seus segredos aos poucos. Esse livro me chamou atenção porque eu já sei que minha curiosidade não vai me deixar parar a leitura nem por um simplório segundo.

Todo Dia - David Levithan:
Como seria acordar todos os dias em um corpo diferente? A, o protagonista viajante, já está acostumado com essa realidade. Ele sabe das regras também: nada de interferir e nada de se apegar. Mas isso muda quando ele entra no corpo de Justin e conhece a namorada dele, Rhiannon. A agora quer ficar, quer ter uma vida normal, mas como? Pergunto-me se esse amor vai mesmo vencer essa grande barreira que é a vida de A.
 
   De qualquer forma, aos que comemoram ou não, o importante é celebrar o amor, certo? Certo. Então, seja lendo e suspirando por caras irreais ou jantando com o namorado/marido, espero que tenham uma boa noite.
10

Apartamento 2 Broke Girls (com a Diseño)

`
   Mês passado comecei a tag 18 coisas para meu apartamento em função do meu aniversário de dezoito anos daqui uns meses, e o primeiro post foi sobre coisinhas bonitinhas para a cozinha. Para minha surpresa, o post teve muitos comentários e uma recepção muito boa do público com relação as lojas que eu havia escolhido. 
   O legal é que a surpresa não parou por aí; assim que cheguei em casa na quinta-feira passada (abrindo parênteses aqui para agradecer pelos desejos de boa viagem e para dizer que sim, cheguei bem e que sim, já estou com saudade dos Estados Unidos) tinha um pacote da loja Diseño me esperando. Dá para imaginar a minha felicidade?
   Sei que muitas pessoas não gostam de post propaganda, mas eu acho que é sim muito válido. Quando se recebe um produto para falar, você pode julgar vários quesitos, como a entrega, os próprios objetos, o atendimento e, claro, o preço. E é isso que eu estou fazendo aqui e espero de verdade que vocês gostem tanto quanto eu gostei.



Açucareiro
   O que acharam? Eu dou nota dez para tudo; os produtos foram enviados um dia depois da compra efetuada. Uma semana e três dias depois o pacote estava na minha casa (segundos meus pais, que receberam tudo e guardaram para mim) e os produtos são maravilhosos mesmo. 

   Mas agora vamos para o post post mesmo. 
   Eu tenho pesquisado bastante sobre apartamentos e um dos meus favoritos é de uma série muito engraçada que passa na Warner: 2 Broke Girls. Com muitas cores e detalhes vintage, o apartamento da Max é repleto de vida. 



   Como se vê, a sala/quarto dela possui vários elementos em vermelho e a parede revestida de madeira e os tons de azul ficaram demais. Eu gosto de como a palheta de cor é longa e, ainda sim, combina. Os objetos, nesse caso, são mais divertidos.



   Com tantos potes à vista e até os adesivos na geladeira, eu chamaria esse de um cômodo visual. Por isso, mais do que nunca, as coisas bonitinhas disponíveis na loja ficariam legais demais. Já que tudo fica disponível para todos verem, então que seja objetos legais, não é?



   Um extra é que, no seriado, Max e Caroline estão sempre se metendo em confusão. Atrasadas para o trabalho ou colocando fogo em algo, eu acho que um desses relógios legais podia ajudar. Quem sabe. Só sei que eu fiquei querendo um desses também.


Relógio Despertador Male RobotDespertador Gato 


De qualquer forma, muito obrigada, Loja Diseño. E parabéns pelo ótimo serviço.

E você, o que achou? Qual seu favorito?
43

Ready? Go. Read! A seleção

`
   Sempre jurei, de pés juntos, que não leria trilogias porque não gostava da ideia de um livro ficar pela metade e só continuar em um próximo. No entanto, aqui estou eu, apaixonada como nunca antes por três livros que não consegui superar mesmo depois de semanas que terminei. 
   Conheça A Seleção, trilogia que teve seu primeiro livro lançado em 2012 e possui contos e diários paralelos. 

Ano: 2012
368 páginas
Editora Seguinte
Autora: Kiera Cass

   Em A Seleção, você descobre que o mundo não é mais o mesmo, que agora os Estados Unidos é chamado de Illéa e existem castas (se não souber o significado de casta, clique aqui). América Singer é uma menina da casta cinco e, como principal, já possui um amor e não quer nada mais do que casar-se com ele e ignorar o fato de Aspen, o dito cujo, ser de uma casta inferior. O problema é que sua família precisa de dinheiro e a mãe dela vê na Seleção uma forma de sobreviver. Tudo que América não quer, porém, é entrar numa competição com outras trinta e quatro moças tendo o coração do príncipe de Illéa como prêmio. E, de quebra, o reino. 

“Sei o que sinto por você. Talvez seja impulsivo da minha parte ter tanta certeza, mas estou certo de que seria feliz com você.”


   Depois que América vai para o castelo e conhece o príncipe, tudo muda. Aspen terminou com ela antes da viagem e a moça acredita que ele não quer mais nada com ela de qualquer forma. Voltar para casa não é uma opção então, uma vez que vê-lo só aumentaria a dor de ter sido rejeitada. E é aí que América e Maxon (aka príncipe mais lindo desse universo) se tornam amigos. E é aí que eles se tornam o número dezessete da minha lista de casais. E é aí que a confusão começa. 

Nós dois nunca fomos apenas amigos. Desde o primeiro momento em que o vi, eu o amei.


   Assim como Jogos Vorazes, A Seleção envolve assuntos como política e rebelião, porém de uma forma mais romantizada. O livro é muito bem escrito; o li em um dia e foi proposital a minha espera de três anos para começar a ler, pois eu não aguentaria ficar um ano sem saber o que aconteceria em Illéa. Kiera, a autora, soube como construir situações e criou personagem que cativam demais, então entendo a repercussão que o livro teve. 

“Espero que encontre uma pessoa sem a qual não possa viver. E desejo que nunca precise saber como é tentar viver sem ela.”


Ano: 2013
360 páginas
Editora Seguinte
Autora: Kiera Cass

   Quando A Seleção termina, você já tem algumas respostas, mas compreende que existe muita água para passar por debaixo da ponte. América sabe o que sente por Maxon, mas também sabe que Aspen está lá no castelo, na guarda, e que ele sempre estará lá para cuidar dela de qualquer forma. Nesse triângulo amoroso, alguém tem que perder, não é?

"Às vezes, sinto que somos um nó complicado demais de desfazer."

   América irrita todo mundo nesse livro. Eu lembro de ter partes em que eu parava de ler e, por cinco minutos, só murmurava coisas desconexas de raiva. Isso tudo de madrugada. Legal. Mas o ponto é que América faz muitas escolhas sem pensar e isso a deixa em desvantagem na competição, sendo que agora sim ela está competindo. Maxon conseguiu seu coração e, honestamente, como não conseguiria? Ele é adorável. 

"As coisas são assim. O céu é azul, o sol é quente, e Aspen ama America para sempre."

   Como falei em todo santo post sobre A Seleção, Maxon é incrível. Ele realmente é, porém em A Elite é que você passa a ver que ele é um príncipe que tem medo e não sabe o que fazer. Ele quer muito viver o momento e aproveitar para conseguir esquecer toda a preocupação, porém ainda sim está assustado. Gostei que a Kiera explorou mais disso nesse segundo livro. Gostei também que o personagem da Marlee, amiga da América, teve mais destaque e, mesmo que muita gente a ame de paixão, nunca vi nela essa amiga maravilhosa que muitos dizem, mas gostei dos caminhos secundários que ela soube mostrar mais em A Elite.

"Mas como decidir entre duas boas opções? Como decidir se qualquer escolha deixaria parte de mim destruída? Me consolei com o pensamento de que ainda tinha tempo. Eu ainda tinha tempo. "


Ano: 2014
352 páginas
Editora Seguinte
Autora: Kiera Cass

   Nesse ano, A Seleção deixou de ser trilogia. Depois de ser anunciado A Herdeira e um livro para o ano que vem que terminaria com a série A Seleção, A Escolha é o último livro que tem como principais Maxon e América e por isso nem me preocupei com esse próximo livro. De qualquer forma, como mencionei, A Escolha é o último livro e o mais aguardado por mim. Mas será que foi o melhor série?

Pode partir meu coração. Mil vezes, se desejar. Sempre foi seu para machucar como quiser… Amarei você até meu último suspiro. Cada batida do meu coração é sua. Não quero morrer sem que você saiba disso.

   Esse terceiro livro teve mais ação por conta dos rebeldes e mais explicações do passado e isso foi bom, porque eu fiquei com medo que algumas dúvidas fossem ficar guardados como segredos porém essa preocupação foi em vão. Mesmo que fosse o mais aguardado, com certeza não foi o melhor livro para mim. Eu tinha um pouco mais de esperança para o final e, mesmo amando de paixão, a magia não foi completamente contemplada porque pareceu que a Kiera estava cansada da história e quis dar um fim de uma vez. Acho que ela poderia ter continuado com Maxon e América, se desejasse, mas não que colocasse um ponto final daquela forma.

"Eu não sabia o que isso significava para nós. Nem se ainda havia um nós com que valesse a pena me preocupar."

   Mesmo que eu não tenha amado o final em cem por cento, estava tão envolvida na leitura que não consigo pensar em nenhum final alternativo. Odiei Maxon em algumas partes, odiei América em outras, porém até agora não compreendo o ódio mortal que sentem do Aspen. Ele foi um personagem muito bom e não entendo como podem pensar errado dele. Quisera eu ter um amigo assim! 

"Naqueles segundos, lamentei tudo o que tinha perdido. Nunca veria você caminhar ao meu lado na igreja; nunca descobriria seu rosto em nossos filhos; nunca veria mechas grisalhas em seus cabelos. Só que, ao mesmo tempo, não me incomodava. Se a minha morte - Ele deu de ombros novamente. - significava a sua vida, como poderia ser algo ruim?"

   Seja como for, A Escolha me deu felicidades, me deixou despedaçada e com certeza eu indicaria o livro para todo mundo. E você, já leu?

   Não tenho palavras para expressar a minha ansiedade para o filme e o próximo e último livro, mas também quero muito que vocês comentem o que acharam, seja da resenha que fiz ou do livro. Perdão que tenha ficado tão longo, porém achei desnecessário fazer posts separados.
14

18 estilistas: Zuhair Murad

`

   O blog sempre foi mais sobre música, livros, arte e viagens, porém, de uns tempos para cá, tenho parado e acompanhado muitos desfiles, o que me leva a conhecer alguns estilistas melhor. Agora eu considero moda arte também e é por isso que resolvi falar mais disso aqui.
   O Zuhair Murad, estilista de hoje, é meio parecido com o primeiro estilista dessa lista, porém as peças dele se arriscam mais em recortes. Com muita transparência e delicadeza, Zuhair começou com uma loja de acessórios e resolveu que queria expandir os negócios e foi assim que a carreira de fashion designer começou.

   Número 1: Elie Saab
   Número 2: Zuhair Murad


   Nascido em Beirut, no Libano, Zuhair se mudou para Paris depois de terminar a escola e conseguiu seu diploma de moda. No entanto, foi em sua cidade natal que, em 1997, foi aberto seu primeiro atelier. Hoje, aos quarenta e quatro anos, ele já vestiu famosas como Jennifer Lopez, Katy Perry, Blake Lively, Kim Kardashian, Taylor Swift, Beyonce Knowles, Selena Gomez e seus vestidos são fotografados em tapetes vermelhos/premiações ao redor do mundo inteiro.


   Zuhair disse que se inspira em princesas egípcias e deusas gregas, misturando um pouco de atualidade também. Concordo com essa afirmação, pois consigo ver bem o que ele descreveu em suas criações. O que eu adoro sobre os vestidos dele são as cores e as texturas, e, diferente do Elie, os recortes são mais ousados, porém a transparência é igualmente usada. 


E aí, partiu começar a juntar dinheiro ou vender o rim para comprar um vestido dele? Qual você gostou mais, Elie ou Zuhair?
28
Image Map