Image Map

Press

Sobre saudades e lágrimas

`
   A única coisa que eu quero que morra, são as flores que recebi. Mas elas irão parar de viver porque é a ordem natural das coisas, e não porquê eu sou cruel ou algo do tipo. A única coisa que eu quero que chore são as nuvens, porque assim, as estações irão passando, e isso significa que vou estar mais perto de voltar. As única coisas que eu quero são as que não vão acontecer. Infelizmente cada coisa dessas faz parte de entender algo sobre a vida: saudade.
   A saudade é um sentimento bem amargurado. Não contente em tirar o toque, a visão, o olfato e a audição, ela faz com que você transforme boas lembranças em memórias torturantes; transforma a vontade de estar junto em medo de que tudo esteja tão diferente que, de uma forma estranha, você não irá mais se encaixar onde antes era tão bem quisto. A saudade que pode trazer velhos sentimentos à tona, é a mesma que não pode ser curada, que machuca, mas que, como toda boa dor, cicatriza com o tempo. Não existe cura, mas nenhuma dor dura por tempo o suficiente pra ser insuportável.
   Em minutos em que a vida parece incerta, que nada é tão real, a saudade mostra o amor que existia, e que pode existir. Em horas que a rotina parecia ter roubado toda a animação, a saudade mostra que ainda há carinho, ainda há sentimento que salve o que já não parecia bom. Em semanas que algumas coisas pareciam certas, a saudade mostra que, de certo, só existe o amor. Em meses de bipolaridade, sem saber de muita coisa, a saudade mostra que tudo bem não saber de muita coisa, tudo bem estar desanimado, tudo bem estar errado. Em anos de "tudo bem", a saudade mostra que devemos demonstrar todo o sentimento possível na menor quantidade de tempo que conseguimos, porque a vida é como uma competição, na qual você não pode saber o tempo que tem para completar cada mínima prova.
   Minha saudade é expressa com lágrimas e a falta de palavras. Minha saudade machuca ao passo que me constrói, que me faz lembrar que sou amada. Minha saudade não é diferente da de ninguém; ela arde igual, é salgada igual. Minha saudade faz parte de mim, no entanto, nesse momento, enquanto meu relógio está sendo zerado, eu noto que fiz tudo que podia fazer nas provas mínimas do dia-a-dia, então não me arrependo de nada. Você também poderia dizer isso?
2

2 comentários:

  1. Heeeeey Bianca,tuddoo bom?Eu estou otima.Gente que texto,top,simplesmente ameiiiiii.
    Esses dias eu percebi que também com saudade,muitas de alguém :)
    Esse texto me fez refletir um pouco,obrigado!!
    Beijocaaaas
    Ariih\\ diario-de-uma-adolencencia.blogspot.com

    ResponderExcluir

Image Map