Image Map

Press

Regina Wharton

`
   A nova parceria do blog é uma loja com peças da Regina Wharton, que atua profissionalmente na área de bijuterias à dez anos. Os meus produtos favoritos foram os relicários, em especial os que são na cor de ouro velho, por me passarem a impressão de antigos. Eu gosto muito deste tipo de colar, porque, além de ser um acessório diferenciado, dentro podem ser colocadas fotos especiais.   

                                                        1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9
    
      O mais legal ainda é que a loja disponibilizou um relicário para uma leitora do blog. O sorteio vai funcionar da mesma forma que os outros e que, aliás, já possui ganhadora. Espero que, desta vez, ela responda ao meu email, para que eu possa enviar o regalo.
   A primeira opção, onde diz "tweet about the giveaway" +2, você deve ir em seu twitter e escrever "entrei no sorteio da @amamosOned do blog www.naogostodeunicornios.com para ganhar um colar muito fofo" e pegar o link deste tweet, e colar ali, para comprovar. A segunda e terceira opção envolve curtir a minha página no Facebook, e a da loja participante, que é mega confiável, com uns acessórios muito lindos mesmo. A última opção, a do "tweet about the giveaway" +3, é para fazer o mesmo processo anterior, para pegar o link do tweet e colar ali, só que, desta vez, o conteúdo escrito deve ser "a @amamosOned está fazendo um sorteio no blog dela (http://www.naogostodeunicornios.com/2014/02/regina-wharton.html)".
   Todas estas opções devem ser escolhidas e, qualquer dúvida, é só me mandar um email, ou dizer nos comentários que estão com problemas. Desejo que a sorte estejam com vocês, e que vença a que mais tweetar, porque a opção do tweet pode ser feita várias vezes, ajudando, assim, na hora de ganhar. 

a Rafflecopter giveaway


PS.: E sobre o sorteio do colar com o pingente de unicórnio, a ganhadora foi a Fernanda Gomes. O email já foi enviado, e já estou aguardando retorno.

2

Porcaria, a pipoca queimou: Waiting for forever

`


Pra quem gostou de: Para Sempre.
Status: estreiou. 
Indicaria: Talvez; provavelmente não.

   Acho que eu nunca li uma postagem onde a pessoa falasse que não gostou de algo. No geral, é sempre indicando um filme que gostou muito, e dizendo para as pessoas assistirem também, para concordarem com a opinião que foi posta na mesa. Eu quero que as pessoas assistam "Waiting for Forever" para que elas descordem de mim, para falar a verdade.
   Esperar Para Sempre, que foi a tradução do título, aqui para o Brasil, ao meu ver, é como o filme "Um Dia". As criticas para a narrativa britânica foram, na maioria, negativas, alegando que foi uma decepção amorosa cruel, e eu concordo com a definição, porque o enredo estava bom; eu realmente adorei me envolver na história deles, uma vez por ano, no mesmo dia, porém o final decepcionante terminou com toda a magia, fazendo com que ou você ame o filme, ou você o odeie eternamente. Para o filme americano, creio eu, que o valor que eles gastaram para fazê-lo, não foi reposto.
   Nesta história, o adorável Will Donner é um homem que volta a sua cidade, depois de anos longe, para reencontrar o amor de sua infância. Emma, a moça que recebe todo o apreço de Will, está lá, só que, quando o vê novamente, não esperava que ele tivesse se tornado o caos em pessoa, sendo que, ela mesma, já tem que lidar com seus próprios fantasmas.
   A história deles acaba sendo retratada de uma forma bem fofa, porém eu não encontrei algo pelo qual me apegar e pensar que esse tenha sido um ótimo filme. Posso estar errada, e estar baseando minha opinião toda em um final ruim, então acho melhor que você assista, e decida, por si só, se Waiting for Forever merecia um sucesso que não chegou, ou se as pessoas estavam certas em simplesmente ignorar esta narrativa.

0

Sinto muito.

`
   As nuvens estão deixando cair gotas grossas de água, e, assim, combinando com meus olhos. Eu deixo as lágrimas escorrerem porque, de uma forma simples, essa é a minha maneira de dizer que estou sobrecarregada por dentro. As nuvens também estão carregadas demais, e tem de deixar que as calçadas fiquem molhadas, que o chão fique escorregadio, e que pessoas façam caretas para um transito que só parece pior em dias assim, porém, ao contrário do tempo, onde todos enxergam, eu chorei em silêncio, sem ninguém ver.
   Eu sou hipócrita. Falei que a morte é uma questão de desapego e que, como é a única certeza da vida, temos de aceitar. Neste momento, enquanto recebo a notícia de que ele "descansou", me considero a mais egoísta das almas, e desejo que ele pudesse voltar, ou que isso fosse só uma piada sem graça. Mas não é. Ele não está mais ocupando aquela cama de hospital, mas está residindo em um outro lugar: as minhas memórias. Por favor, não é um lugar digno, entretanto é especial. 
   Não fez diferença se eu convivi mil horas, ou mil anos. Ele se foi. Ele se foi como qualquer outra pessoa, que sofria por dentro, que não demonstrava sentimentos, que não gostava de palavras. Não me importa nossas diferenças, não me importa as horas e tampouco me importa o motivo, porque meu passado está morrendo, e ele, quando deu seu último suspiro, levou um pedaço da minha história. É triste, não é? Você vive, chora, grita, briga, abraça, mas, no fim, vai ser só mais uma lápide. Eu o visitei, umas semanas atrás, e a esperança de que ele melhoraria tomou conta de mim, só que isso era só mais um truque, para que tivéssemos fé em algo que deixou de acontecer no instante que ele fechou os olhos. 
   Minhas palavras não o trarão de volta, meu choro não consolará ninguém, e eu tenho plena consciência de que ninguém sofrerá, em questão de meses. Mas, ainda sim, é necessário que eu sofra minhas dores porque, um dia, eu sorri com minhas vitórias, e não seria justo se eu desse prioridade para minha humanidade só com relação a uma situação e outras não.  
0

Perfumes

`
   Existem vários aromas que me lembram coisas boas, como a grama molhada e o cheiro de protetor. O perfume influência muito sobre uma boa primeira impressão, fazendo com que as pessoas se sintam confortáveis em sua companhia, ou comecem a espirrar demasiadamente. Pensando nisso, e na minha adorável e bela coleção de frascos importados que merece ser exposta, o post de hoje vai ser dedicado a uma apresentação das fragrâncias que eu uso, em meu dia-a-dia, e eu espero que vocês possam comentar abaixo quais são seus perfumes favoritos, para compartilhar isso.

Our Moment: Muitas meninas vieram me perguntar se o primeiro perfume da banda britânica One Direction é doce, e a reposta é não. Além do frasco ser lindo, e eu ter tido meu momento fangirling quando meus pais me presentearam ele, o aroma do perfume é ótima. A mistura de toranja rosa, groselhas, frutas silvestres, pétalas de jasmin e frangipini, foi uma combinação perfeita e, sem dúvidas, este é o meu favorito. Meus pais compraram o perfume de 100ml no Uruguay, e pagaram sessenta dólares.

Pink Diamond: Retirando a parte superior do diamante, um aroma doce será revelado. Este é o primeiro perfume da cantora - também britânica - Cher Lloyd, e eu comprei em minha viagem para Londres. O mix de baunilha, pétalas de jasmin e orquídea é bem parecido com o Our Moment, porém é um tanto mais doce. Não chega a ser enjoativos; longe disso, mas seria uma escolha arriscada para quem prefere o Si Lolita, por exemplo. O preço foi de dez libras, por um frasco de 50ml, por estar na promoção, onde eu paguei vinte libras por dois perfumes. Eu peguei o Pink Diamond e o Purr.




Si Lolita: A Lolita Lempicka tem ótimas opções, entretanto o Si Lolita não é a melhor delas. Na minha opinião, o aroma é forte demais no primeiro instante, e com o tempo, vai suavizando. Só que até que ele esteja mais ameno, minha rinite já se fez presente, e meus espirros são constantes. Muitas pessoas, inclusive minha mãe (que adora roubá-lo), gostam de uma essência mais acentuada assim, porém, para pessoas alérgicas como eu, é uma escolha perigosa. As notas de saída são pimenta rosa, bergamota e mandarina.



Cosmic Radiance: A composição deste perfume da Britney Spears abre com notas cítricas, marcantes e otimistas como litchi, pera e mandarina. Um buquê refrescante abre suas pétalas perfumadas no coração da composição com notas de jasmim, tuberosa, peônia e gardênia. A base quente e cintilante da fragrância é composta por âmbar, sândalo cremoso e baunilha suave. E tudo isso significa uma coisa: que o perfume é bom. Eu comprei em uma versão de 30ml, pois achei que não usaria muito, mas o Cosmic Radiance, do qual eu também paguei dez libras, se tornou uma boa escolha, por, de alguma forma, me lembrar o cheiro dos britânicos. 



Purr: O perfume Katy Perry Purr tem como base nectar de pêssego doce refrescado com bambu verde, maça, orquídeas, jasmim, rosa, âmbar branco, sândalo e almiscares. A embalagem ajudou muito na hora de ficar com ele, mas o aroma é surpreendentemente bom. Eu presenteei minha vó com ele, por ela amar gatos, só que ela gostou tanto do cheiro, que ignorou o gato de ser representado por um felino. Isso só prova que o perfume é tão gostoso que mulheres de todas as idades podem gostar.



Wonderstruck: Desde que o Wonderstruck foi lançado, a Taylor Swift apresentou duas fragrâncias mais, porém, após as experimentar, achei que este, do vidrinho roxo e lindo, é o mais peculiar. Não que o odor seja ruim, e é isso que o torna diferente, mas sim pelas notas de framboesa, amora preta, chá verde, frésia e flor de maçã, que foram uma pela combinação. Ele não é muito doce, assim não se tornando enjoativo, e uma curiosidade é que o nome veio a partir da música Enchanted, no verso "I'm wonderstruck, blushing all the way home".



Someday: Pelo que eu acompanhei, o perfume Someday, do Justin Bieber, está agora disponível no Brasil, através da revendedora Jequiti. Eu comprei o meu faz dois anos, pagando oitenta dólares pelo frasco maior, e, como uso outros também, ele ainda não acabou. O exterior adorável, onde a tampa possui camadas de corações em degradê cor-de-rosa, abriga um aroma de tangerina, pera Williams e frutos silvestres.



Nina: Nina Ricci é uma marca de perfume que eu nunca experimentei alguma opção ruim. Eu sou daquelas que não gostam muito de sair da zona de conforto, então este é o meu terceiro frasco do Nina, na sua primeira edição. Agora existem variedades deste mesmo perfume, sendo alguns com mais tangerina, e outros mais doces, mas esse, em especial, me agrada por recordar-me de uma laranjeira. Esta fragrância está quase em extinção, pelo que notei, depois da difícil compra, mas ele vem com um creme, que combina com o perfume, então creio que o valor de setenta dólares está em conta.
0

O sábado

`

   Deixou de ser sábado, por culpa de alguns minutos. Eu passei minhas vinte e quatro horas pensando em alguém que não me conhece, mas que acha que eu sou bonita. Não quis entrar em detalhes, e perguntar qual era a definição de beleza para ele, então só sorri idiota. Estou arruinando tudo, amando como uma tola, mas tudo bem, porque já não é sábado.
   O dia foi um dos mais preguiçosos, e eu nem me importei com a chuva que caía. Eu não vi o acidente que aconteceu na esquina, e não senti frio, por ter esquecido aquele meu casaco verde musgo, naqueles ganchos que meu pai prendeu atrás da porta. Eu não vi crianças, não vi idosos, e não vi pessoas da minha idade, tudo porque estava pensando nele. Isso, e porque estava com os olhos fechados, pois o oculista colocou um colírio que deixou aquele sentimento de impotência. 
   Foi bom ter que passar um tempo com os olhos cerrados, porque, com isso, me foquei nele e somente nele. Segundo o menino que passei a chamar de príncipe, eu vou ficar linda de óculos. Mas ele não sabe. Ele não conhece minhas bochechas coradas, e tampouco sabe da minha mania de morder os lábios, quando estou nervosa, o que faz com que minha boca assuma um tom mais avermelhado. Ele não sabe que eu sorrio sempre que noto que ele gosta de conversar comigo, e não compreende que eu ouvi sua música o dia inteiro, só porque isso fazia com que eu me sentisse mais íntima. Ele não sabe, mas tudo bem, porque já não é sábado.
   O sábado é um problema para mim. É um ótimo dia para não fazer nada, e isso remete pensamentos para uma mente inquieta. Pensei nele o dia inteiro, e sobre como eu adoraria que ele acariciasse meu rosto, antes de retirar meu mais novo acessório, e, então, se tornasse o borrão mais lindo que eu havia visto. Não, espere, eu tenho problemas para ver de longe; ele não seria um borrão. Mas ainda sim era o mais lindo. 
   Já não é sábado, eu ainda não estou de óculos, ele não me endereçou um carinho, mas eu ainda penso em como a música dele, que não tem nada relacionado com o que nós temos,
faz com que eu o ame sem nem saber seu sobrenome. 
0

Todo mundo tem alguém, menos eu

`
   Normalmente, eu tenho algo para dizer sobre as músicas. Elas me inspiram de uma forma, e eu consigo escrever sobre esses sentimentos. Entretanto, com essa canção, chamada "todo mundo tem alguém, menos eu", fala por si só, então eu só vou postar a tradução mesmo. Aliás, essa parceria entre o Hunter e o Jason ficou muito boa, mas eu confesso que esperava um pouco mais sobre o final do livro.


Eu queria que o casal, ali no canto, arranjasse um quarto,
Parece que todos ao meu redor estão em lua de mel,
Eu queria poder estourar o balão em forma de coração,
Todo mundo tem alguém, menos eu.

Não sei como cheguei nesse lugar,
Parece que estão fazendo testes para "Romeu e Julieta",
Eu não teria notado se nós nunca tivéssemos nos conhecido,
Todo mundo tem alguém, menos eu.

E eu sinto sua falta,
Sem você, eu não me encaixo,
Eu sei que terminamos,
Mas eu queria que tentássemos de novo.

Eu escuto músicas românticas tocando no rádio,
E pessoas dançando lentamente, por todo lugar que eu vou,
Bom, eu sou um bom dançarino, mas você nunca saberia,
Porque todo mundo tem alguém, menos eu.

Todo mundo tem alguém, menos eu.

E eu sinto sua falta,
Sem você, eu não me encaixo,
Eu sei que terminamos,
Mas eu queria que tentássemos de novo.

Sentado, sozinho, em uma mesa para dois,
Vendo apaixonados sendo apaixonados, em mesas de canto,
Parece que até o cupido não sabe o que fazer,
Todo mundo tem alguém, menos eu.

Eu não sei se vou encontrar outra como você.
Todo mundo tem alguém, menos eu.
0

Play Two Times (com estilo)

`
   A cantora do Play Two Times de hoje não é britânica, e isso é a novidade. Acompanhando isso, vou falar sobre o estilo dela, o que é algo novo para mim também. Enfim, a Nina Nesbitt tem dezenove anos, é linda, escocesa-sueca, e eu só conheci por causa do aniversariante do dia (ED LINDO). O primeiro álbum dela se chama "Peroxide", onde, minhas músicas favoritas são "Stay Out" e "Selfies". 
   Como se não bastasse ela ter essa voz tão singular, o estilo dela foi algo que chamou minha atenção também. Ela é bem eclética, para quando se trata de dia-a-dia, deixando o estilo street mais na frente, mas, quando se trata de premiações, a Nina adora vestido longos, justos e que valorizem o corpo dela. Como uma boa gringa, ela não tem curvas, e é bem magra, então eu, por exemplo, não poderia me inspirar nela para me vestir. Entretanto, acho que é válido mostrar que eu estou certa quando digo que ela sabe como se vestir. 
E aqui estão as duas músicas, que fazem jus ao "nome" deste "quadro" do meu blog. 


0

O efeito do mar

`
   Um dia desses, eu vi você. Eu não faço a mínima ideia se você viu minha silhueta contra aquela luz fraca da lua, mas isso era algo que não importava. Não importava porque você estava com ela, e sorria como se aquele fosse o auge de sua felicidade. Eu não tinha alguém ao meu lado, para que eu pudesse sorrir fraco e mentir, dizendo que já havia superado você, mas isso era só mais uma coisa que não interessava a ninguém. 
   Você continuava com a mania de segurar a mão enquanto caminha e, meu amor, ver que aquela não era uma peculiaridade que só eu apreciava foi algo que machucou. Não era ciúmes, não era decepção e tampouco era medo de ser esquecida: era a falta de amor que você me endereçou. Podia ser um pouco do sentimento de perda, podia ser pela raiva de ter sido trocada, entretanto era mais pela vontade de ser amada; vontade essa que não foi preenchida. 
   Ela era linda, e vocês combinavam. Doía pensar daquela forma, mas era inevitável, porque eu não poderia mentir. O efeito que você tinha em mim era o mesmo efeito que as ondas do mar expressavam em mim. Você, assim como a água que vai e volta lentamente, era uma das coisas que mais me acalmava. Ouvir sua voz, era como sentar na areia nos pés, em um final de tarde, e escutar o silêncio. A água, lambendo a areia, e deixando rastros, era como o seu beijo; a areia ficava molhada e, por vários segundos, podíamos ver até onde ela estava indo. Talvez destruindo castelos, talvez fazendo buracos, cavados por crianças com seus pais, serem preenchidos novamente. Seu beijo me mostrava a direção da minha vida: você. O carinho que você me deu era bipolar: podia destruir meus castelos, representados por meus sonhos (afinal, você se recusou de ficar, e me deixou) ou podia rechear o meu vazio. O vazio proporcionado pela falta de cuidados vindo de outras pessoas. 
   O mar, ao contrário de você, estava lá no final de dia. 
   Você se foi em um momento que eu não tenho certeza. Eu não sei o dia, nem a hora, nem a situação, porém isso não importa, sabe? Não importa porque, ao ver seus lábios tocarem os dela, eu soube que ela não sentia nem metade do que eu sinto por você, e isso acalentou o meu coração, com vingança. Eu sei, meu amor, que uma hora ou outra, ela vai deixar você assim, sozinho, precisando do mar para silenciar seus pensamentos nebulosos.
2

Porcaria, a pipoca queimou: Incondicional

`

Pra quem gostou de: O Som Do Coração.
Status: estreiou. 
Indicaria: Sim!

 Tem alguns filmes, que, mesmo que se passem vários anos, você não esquece, e "Incondicional" está nessa categoria, para mim, não só pela história ser baseada em fatos reais, mas sim pela lição que ela passa; lição essa, que me emocionou muito, e que deve ser passada.
   Sam perdeu o marido em uma noite trágica, e sua vontade de viver já se esvaiu a muito tempo, então, com o intuito de tirar sua vida, ela volto no beco onde tudo aconteceu. Quando está prestes a puxar o gatilho, um atropelamento, perto de onde ela está, muda sua vida, e ela reencontra um amigo de infância, que a ensinará a olhar para frente, e não continuar presa em um passado repleto de dor.
   "Incondicional" estreou em 2012, e foi muito bem recebido pelas críticas, principalmente pelos religiosos, onde a mensagem subjetiva tem grande valor nesse longa-metragem que, segundo David Martindale, do jornal Dallas Morning News, é "um pequeno filme, com um grande coração". Este filme mudou minha percepção sobre as coisas, e uma nota de dois doláres nunca mais será a mesma coisa para mim, e espero, caro leitor, que não seja a mesma coisa para você  também.   

0

Home

`
   Havia aquele cheiro de grama cortada nas manhãs de domingo, quando eu dormia no quarto da frente, na cama grande, entre o casal que me ensinou o que era amor e que bicos de bebê podem fazer seus dentes ficarem tortos. Havia um potinho de metal, imitando uma lata de tinta, onde havia o único giz de cera roxo de toda a escolinha; um dia, brigando por ele, a lata caiu da janela, e as uvas e arco-iris completos se foram junto com o giz. Havia também aquele cheiro de protetor solar misturado com a maresia, que apesar de corroer os portões de ferro, mantinham aquele ar de familiaridade nos verões escaldantes e nas caminhadas pela areia, sentindo a água do mar vir molhar meus pés, timidamente. As ondas depois das seis horas eram sempre as melhores; quentinhas pelo sol do dia inteiro e lentas, chamando atenção para a imensidão azul e solitária. 
   Talvez haverá sempre alguma coisa que me faça lembrar de situações específicas, e acho que lar é um desses exemplos. Aquela sensação de segurança, de estar aquecido, e de poder sair dançando, cantando, pulando por aí. Lar é o lugar que você quer voltar quando o dia está ruim; é o lugar que você permanece quando a chuva fica mais intensa; é o lugar em que você fica nervosa para manter tudo organizado quando alguém diferente virá. Lar é tudo isso, mas é, principalmente, o que você mantem no coração.
      Em diversas vezes, as coisas não saem como esperamos e isso pode nos fazer crescer, porém, o que faz lar ser considerado esse lugar tão especial e nostálgico, são as memórias construídas em cima dele. Árvores de Natal, a primeira tentativa de cozinhar, o primeiro machucado feio, as noites de pesadelos ou tempestades. Lar é o lugar em que te faz lembrar das coisas idiotas e você simplesmente não se sente idiota; se sente em casa. 
   Quando o tempo passar, os cabelos esbranquecerem, a pele ficar enrugada, e os netos correrem pela casa, você vai querer voltar. Vai querer as broncas que levou de seu pai, sentada naquela poltrona, assim como vai querer a mesa em que tentava resolver aquelas questões de matemática - as mesmas das quais você acabou desistindo, sem ter terminado, e ido assistir televisão ou fazer qualquer outra coisa. Vai desejar seus pais de volta, mandando você arrumar o quarto ou alimentar o gato. 
   O tempo passa, mas o lar é o lugar em que todos os sentimentos vão te fazer pensar nas coisas que fez de errado e no que deixou de dizer. Lar é onde o coração está, e é pra lá que voltamos no final; querendo ou não, quando morrermos, talvez a vida não passe por nossos olhos, mas sim aquele beijo na testa que sua mãe deu, ou aquelas patinhas brancas feitas com farinha, na manhã de Páscoa. Lar é onde o seu coração está e é onde você sempre pode voltar, mas se quer um conselho: não espere sua mente te convencer de que aquele não é mais o seu lugar para regressar ao lar. 
0

Não vou abaixar o som, mãe: The 1975

`
   Mesmo que eu tentasse esconder o meu amor pela Inglaterra, isso não seria possível, e a senha do meu wi-fi está aí para comprovar isso. Seja como for, a banda The 1975 é britânica, de Manchester, e eles tocam um indie pop, que se tornou um grande amor meu, também.
   O nome veio quando Mateus Healy, vocalista da banda, encontrou um livro de poesia com "01 de junho de 1975" e resolveu colocar colocar este nome, sendo que, anteriormente, foram experimentadas outras opções. O reconhecimento mesmo veio em 2012, quando o homem que produziu álbuns de bandas como Arctic Monkeys, o ilustre Mike Crossey, fechou a produção do primeiro disco "The 1975". 
   Nesse momento, os caras estão concluindo sua turnê, que começou no Reino Unido, na Austrália e Nova Zelândia. Eles, aliás, foram show de abertura para o Bastille, no iTunes Festival, então vale a pena conferir. 







2

Play Two Times

`
   O lema para a dupla do "A Great Big World", definitivamente, ao meu ver, é "você não precisa ser bonito para fazer sucesso". Ian Axel e Chad Vaccarino começaram dois anos atrás, porém só fizeram sucesso depois que tiveram o single "This is The New Year" gravado no seriado Glee, mas, confesso eu, que eu não prestei atenção nesta música, quando o episódio foi ao ar.
   Eles chamaram minha atenção de verdade através de outras pessoas, fazendo um cover também: Alex e Sierra, os ganhadores do último The X Factor USA. Eles fizeram uma ótima versão da música, porém ainda acredito que a dupla norte-americana, não tão agraciada com a beleza, mantem seu posto com a música, sendo os melhores à interpretá-la. Fora que Christina Aguilera fez uma participação na canção, o que deixou tudo mais... mágico, por falta de palavra melhor.



0

A verdade sobre borboletas

`
   Fazia um tempo que eu não via uma borboleta. Para falar a verdade, elas parecem estar extintas de minha vida, justo para quem tanto as observa e admira. Para muitas pessoas, elas são só insetos que têm asas, o que torna tudo mais assustador e bizarro. Para mim, elas são um animal do qual se compara muito com as pessoas que se machucam, porque pensam estar fora dos padrões de beleza, ou que não são boas o suficiente.
   Borboletas são só lagartas, esquisitas, e que, se não se escondessem, seriam esmagadas por pessoas apressadas, ou por gente que odeia todo tipo de animal pequeno e rastejante. Pessoas que sentem prazer ao se cortar se escondem, tentam se camuflar para chamar o mínimo de atenção, e, por diversas vezes, realmente passam despercebidas por outros indivíduos que conseguem se comunicar de forma impecável. 
   Depois de um tempo, quando as borboletas mudam, elas ficam lindas, confiantes, e voam por aí, espalhando beleza para os olhos de quem está disposto a ficar feliz por detalhes assim. Sabe qual é o ponto da borboleta? É que ela não consegue enxergar como é bonita. Ela não vê suas asas, nem a maneira como as pessoas se alegram, só com sua presença. E, pessoas que não compreendem como são importantes e especiais, são assim também.
   Seja como for, eu quero que as pessoas se lembrem das minhas palavras quando pensarem que não são boas o suficiente. Quem ditou esse mínimo, para ser bom? Quem alcançou o máximo de ser bom? A vida toda é relativa, e é isso que eu quero que as pessoas entendam; que a borboleta pode estar ao seu lado, e você não a enxerga por estar ocupando procurando um defeito na lagarta. 
1
Image Map