Image Map

Press

Ready? Go. Read: Como quase namorei Robert Pattinson

`
Ano: 2011
464 páginas
Editora Jangada

   Eu tenho sérios problemas com livros brasileiros. Para falar a verdade, eu não gosto muito das produções brasileiras no geral, mas não estou aqui pra pedir que vocês venham me xingar de "não patriota" nos comentários, e sim para mostrar a exceção: Carol Sabar.

“Para ser bem honesta. Tenho certo medo dele (ele é grandão demais, imagina só… bom, deixa pra lá), além disso, embora de seja muito legal comigo, eu já o conheço suficientemente para afirmar que ele não faz meu tipo ideal de homem. O tipo com quem quero passar o resto da vida. O tipo pálido, esguio, olhos multicoloridos, fã de frases de efeito e compositor nas horas vagas. O tipo… ai, meu Deus!. .. Edward Cullen. (Não dá para esquecer essa merda! Não dá! Por que, diabos, fui ler esses livros? Como uma pessoa conseguiu escrever uma história que mais parece uma droga?).”

   A mineira de vinte e nove anos estreou com "Como quase me apaixonei por Robert Pattinson" e consquistou muitas leitoras, lançando, assim, seu segundo livro, titulado "Azar o seu!". No exemplar que tem como protagonista Duda, uma jovem que vai para New York e acaba encontrando um charmoso homem com um Volvo prata, a narração é bem tranquila e envolvente. Eu confesso ter me apaixonado por Miguel, que será o pedaço de mau caminho, que é parecido com o britânico perfeição. 

"E espero realmente que você tenha tido tempo de pensar sobre nós, Duda. Caso contrário vou fazê-la pensar na marra. Vou encher o seu saco, todos os dias. Persegui-la na PUC. Invadir sua aula. Ficar de joelhos e me declarar na frente dos seus amigos. Vou grudar em você e lembrá-la a toda hora de que estou decidido a lutar até o final pelo que quero para mim. Pelo que preciso para ser feliz."

   O livro pode espantar por ser bem grosso (tem quatrocentas e sessenta e quatro páginas), mas a história é tão boa, e tão simples, que você esquece que é quase um clichê. O que eu realmente gostei, foi a sacada da Carol, em sair dessa coisa fantasiosa de ter um romance com o famoso pelo qual você é apaixonada, e trazer isso para algo mais real, fazendo com que a narrativa pudesse conectar o leitor, de verdade.

"A primeira vista, Nova York é pura correria e agitação. E a segunda também. Cruzes.. Fico cansada só de ver."

    É claro que você não vai encontrar altas reflexões, porque é uma história de amor simples, sem conflitos impossíveis, porém é uma literatura ótima para passar o tempo e rir. Ajuda também para suspirar bastante, porque, convenhamos, estamos falando do homem com o sorriso torto mais apaixonante do Reino Unido, já que Ian Somerhalder fica por conta da América em si, e Zayn Malik tem como característica o sorriso com a língua entre os dentes, e não o sorriso torto. 
5

5 comentários:

  1. Só o título do livro já achei bem interessante! E pelo q vc falou o livro parece ser leve e legal!
    bjs
    www.curiosajuh.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu super indico o livro, é bem engraçado mesmo, mas como eu disse, não é um best-seller, sabe?

      Excluir
  2. Fato! Robert Pattinson encanta com o sorriso. Amei a indicação :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como não amar aquele homem lindo? haha

      Excluir
    2. Verdade! E britânico hahah

      Excluir

Image Map