Image Map

Press

Não vou abaixar o som, mãe: Lucy Spraggan

`

   Fazia tempo, creio que desde de Cher Lloyd, que eu não encontro uma cantora tão peculiar e talentosa assim. Lucy Spraggan escreve músicas incríveis, tocantes e engraçadas e o visual dela, cheio de tatuagens, se mantendo longe do esteriótipo de britânica perfeita e polida, é o que mais me envolveu, sobre ela. 
   Lucy começou a fazer parte das músicas nos meus headphones quando, em uma madrugada de tédio, fiquei olhando um vídeo de mais de uma hora, sobre os momentos mais emocionantes do The X Factor UK. Ela apareceu quase no final, com "Tea & Toast", música essa que me conquistou em dez segundos depois de escutar. Literalmente. Eu escutei as primeiras três frases e já saí a procurar no google que música era, afinal, a melodia e a letra haviam me cativado de uma forma muito intensa. Eu gosto da forma como ela conta uma história com suas canções, isso a torna especial.
   Ela participou da competição no ano passado, e não venceu, porém eu tenho certeza que ela não vai ser deixada de lado, até porque, seu novo disco, Join The Club, já está nas lojas de lá (e não, não deve vir para cá) e tem feito bastante sucesso. 
   PS.: Talvez eu devesse parar de escrever sobre artistas dos quais não tem previsão alguma de terem seus álbuns publicados no Brasil, mas é inevitável, para mim, mostrar que The X Factor, e a música em geral, não é só One Direction. 







0

0 comentários:

Postar um comentário

Image Map