Image Map

Press

Carta de adeus.

`


 

Se você lesse isso, acho que você pegaria o telefone e ligaria na primeiro segundo. Você sabe o quanto eu sou fraca e eu sei que você não tem completa certeza se eu teria ou não coragem para acabar com o sofrimento. Eu não teria coragem pra te magoar, ou para brigar com você, porém eu sei que o seu amor por mim iria além de minha dor interna. Se, então, eu morresse hoje, você seria, provavelmente, a única que não pensaria "mas ela sempre pareceu tão feliz..." porque você sempre soube que eu tinha as minhas recaídas e que as lágrimas que escorriam por meu rosto e desciam até meu colo eram como se cada uma significasse um martírio; um bilhete que eu estava deixando para um bom ouvinte, aquele que estivesse ali para notar que eu não tinha razões para ser triste, mas ainda sim, estava morta a muito tempo. 
   A única coisa que eu fiz foi acabar com o sofrimento alheio. O problema sempre foi eu e, você pode não ter notado, mas eu fazia você sofrer também. Quando eu chorava, diga com sinceridade, você tremia por medo que eu fosse fraca, não tremia? E quando eu dizia que estava com minhas recaídas, venha me dizer que não passava pela sua cabeça todas as coisas obscuras que você sabia que minha cabeça estava rodeada. 
   Eu sinto muito por fazer você segurar seu fôlego toda vez que eu dizer que te amo, porque você pode estar se perguntando se essa vai ser a última vez que vai ouvir isso de mim. Eu peço desculpas por você tremer quando eu começo a agradecer pelo amor que me deu, porque eu senti cada palavra de amor que você proferiu e isso valeu mais do que todos os momentos de dor e batalha com minha própria mente. Eu imploro perdão por ter sido egoísta de fazer com que você se apegasse a uma suicida. 
   As lágrimas que descem por minhas bochechas, chegam até minha boca e mostram o seu salgado sabor são consideradas pedaços de liberdade para alguém que sofreu em silêncio. Eu não sei como aconteceu, a razão pela qual isso acontece; eu só sei que preciso de paz e foi por isso, que ontem a noite, eu orei por paz. E pedi para que Ele me acalmasse e me levasse embora. Seria egoísmo seu, e de todos que iriam se perguntar porque eu tirei meu próprio fôlego em um ato covarde e fraco, se quisesse que eu continuasse sobrevivendo, vagando por aí, a cada dia, como uma pessoa sem alma. 
   Eu queria poder dizer aquele "até logo", mas seria covardia te dar a esperança de que eu vou regressar e que tudo não passou de um pesadelo. Isso é um adeus, não um até logo. Entenda isso e supere o fato que acabou. Acabou não por uma traição ou por um erro, acabou porque eu não consegui manter a vida que os outros queriam que eu vivesse e assim, com palavras não vão mudar mundo nenhum, nem ninguém, eu me despeço da vida.
   Adeus. 
   E não duvide, por um segundo que seja, que eu te amei; porque você fez um coração que até pouco havia parado de bater, acabar se apaixonando pela vida por alguns segundos novamente.
10

10 comentários:

  1. Meus deus chorei lendo q perfeitoo nossa amei muitooo boom :''''')

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que perfeito, vc é uma ótima escritora sem duvidas! Serio parabéns flor! Chorei ;(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico mega feliz que você ache isso, Beatriz. Obrigada pelo elogio, isso só me deixa ainda mais feliz em escrever :)

      Excluir
  3. Respostas
    1. Não vou pagar a conta do rímel, nem os lenços, mas vou considerar que esse "chorei" foi tipo "adorei", tá? <3

      Excluir
  4. Socorro. Acho que vou precisar de um balde

    ResponderExcluir
  5. Nossa, muito lindo mesmo!

    ResponderExcluir

Image Map