Image Map

Press

Carta de martírio.

`
   Oi, meu amor.
   Eu gostaria de poder perguntar "como está?", só que seria em vão. Você não vai me responder. E dessa vez não é por birra, nem pra me dar um gelo depois de eu ter feito algo errado; é porque você se foi.
   Eu não sei porquê estou escrevendo isso, sabe? Eu poderia só estar chorando por ter que ver seus pais e amigos todos lá, de preto, quietos, com óculos escuros e com algumas lágrimas escorrendo pelo rosto; mas não, eu tenho que estar aqui, me iludindo, escrevendo algo pra você não esquecer de mim, ou pra te dizer que eu sinto muito. E como eu sinto...
   Eu estou me martirizando agora, por não ter visto que você estava mal. Meu amor, por que você não me disse que precisava de ajuda? Por que você me deixou? Por que você não me avisou que não estava mais feliz? Eu tentaria te ajudar, porque eu te amo. Só que o problema é que agora eu só estou aqui, fazendo perguntas aleatórias para um papel que não vai me dar resposta alguma. Eu não fui aquela a te salvar, eu não fui a que esteva com você quando você julgou ser pesado demais o preço da vida, eu não fui aquela que prometi ser. Porque eu prometi o pra sempre a você, mas eu menti.
   Nós não vamos estar juntos pra sempre; eu ainda estou respirando, mas agora a única promessa é a de lembrar do bom lado seu. O sorriso que você dava quando eu te via do outro lado da rua, as caretas pra falar sobre a comida da sua mãe, o seu gosto musical, totalmente o oposto do meu, a sua mania de dizer que eu era dramática por escrever sobre tudo. Cada dia chega mais perto da minha queda. Sem você aqui, tudo fica tão ruim.
   Eu não vou mais te ver nas reuniões de escola, nem poder dizer "até logo", não vou poder cozinhar ou comprar coisas que normalmente você não comeria para nós; eu não vou poder dizer que te amo, não tem mais razão pra isso. 
   Sabe qual é o problema do "pra sempre"? É que ele foi como uma aposta que fiz. Apostei que estaria certa e que você seria a eternidade pra mim, só que eu errei. E perdi. Todos perderam. 
   Naquele dia, em que vi você sem vida no chão, com os lábios gélidos, e sem o peito subindo e descendo, eu soube: eu não dei o valor quando te tinha. Você não tem noção do quanto me odeio agora; como você pode me deixar? Eu grito para as paredes, todos acham que enlouqueci, e chocolate não tem o mesmo gosto porque eu só consigo lembrar de você me dizendo que um dia eu passaria mal de tanto comer o doce. Você devastou a minha vida, e hoje eu te digo que não foi de uma maneira positiva. Como você foi egoísta, meu amor. Como você conseguiu fazer isso comigo?
   Eu nunca te disse "eu te amo", eu nunca me arrependi tanto, e eu nunca vou poder apagar da minha mente seu sorriso, que me parecia feliz. O único problema é que eu não te via sorrir a meses, e a ultima vez que eu vi foi no seu funeral. Eu entendi que você estava em paz, só que agora, eu é que estou no martírio. 
   Eu te amo, mesmo você não sabendo.
0

0 comentários:

Postar um comentário

Image Map